Revista Ensaio Geral, Vol. 3, No 5 (2011)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Nos fios da memória, a emaranhada tessitura do ser

Bene Martins

Resumo


O principal objetivo deste estudo é, após análises conceituais,
o de desmistificar o endeusamento e a excelência da memória, enquanto faculdade infalível, atribuída a alguns iluminados, competentes estudiosos ou a quem teria uma super capacidade para memorar. Procurar-se-á demonstrar, com respaldo nas definições citadas e em outras que surgirão no decorrer do trabalho, que a memória não tem aquela potência de lembrar-se de tudo. A memória é, muitas vezes, atravessada, também, pelo esquecimento e que esse esquecimento não é negativo, pois alguma coisa precisa e deve ser “olvidada”. Toda espécie de relato oral ou escrito passa por processo de re-elaboração. Aquela ideia da memória capaz de uma reconstituição total é ideia da historicidade, que pretendia dar conta de tudo o que acontecera em determinadas épocas, narrar fatos e datas, mas deixando de lado um número significativo de pessoas que fizeram parte da constituição de todo Ser e, por extensão, de todas as histórias.

Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.

Universidade Fedel do Pará, Escola de Teatro e Dança da UFPA
Trav. D. Romualdo de Seixas, 820
CEP 66.055-110 - Belém - Pará
Telefone: (091) 3212-5050
Fax: (091) 3241-0850

E-mail: etdufpa@ufpa.br

Revista Ensaio Geral
http://revistaeletronica.ufpa.br/index.php/ensaiogeral

Administrador do Sistema:
Marcos Salame - marcossalame@ufpa.br